quarta-feira, 3 de agosto de 2011

À espera de uma solução parte II – (O Filme)

Dando continuação a saga “A espera de uma solução” hoje iniciou a parte II com o episódio “Onde está o mercado municipal”
Nos primórdios de sua gestão o Sr. José Mário atual prefeito de Francisco Sá decretou o fechamento do prédio onde funcionava nosso mercado (Feito em sua primeira administração, lembram?) a titulo de efetuar reforma no local. Passaram anos e o que seria uma reforma, hoje tem que ser uma reconstrução. Com a retirada dos comerciantes do local, o prédio abandonado virou alvo de vândalos e pelo descaso com o prédio o município terá que gastar mais dinheiro público do que seria  necessário se  tivesse sido promovida a reforma e o prédio estivesse habitado.
Veja abaixo duas matérias sobre o mercado uma do blog do Zé e outra do Tássio e tirem suas conclusões.


Em resposta à mensagem postada no blog do vereador Tássio Emidio a respeito do fechamento do mercado municipal para reforma, muito me admira que ele não tenha sequer ouvido os comerciantes a respeito. Isso porque, antes que o mercado fosse fechado provisoriamente, foram realizadas várias reuniões com os comerciantes ali instalados. A última reunião aconteceu em meu gabinete, com a presença do vereador Tadeu e do representante dos comerciantes do mercado. Naquela oportunidade, ressaltei que, ao término da reforma, e dentro da legalidade, a preferência na realocação seria dos antigos comerciantes. O motivo do fechamento do mercado é exatamente a urgente e ampla reforma de que o seu prédio necessita. E isso não merece maiores explicações já que o seu estado de deterioração é visível e a reforma vai, inclusive, de encontro aos anseios dos comerciantes ali instalados. O prédio reformado atrairá mais visitantes ao mercado melhorando as vendas e, consequentemente, a renda dos comerciantes. Além disso, propiciará maior conforto e comodidade aos cidadãos que ali freqüentam. Desde que construímos aquele mercado, na nossa primeira administração, se passaram mais de vinte anos sem que o seu prédio recebesse qualquer manutenção ou melhoramento. Portanto, essa reforma é necessária e vem com alguns anos de atraso.
POSTADO POR BLOG DO ZÉ ÀS 13:30 1 COMENTÁRIOS

Retirado do blog do Tássio


Em Francisco Sá Mercadão Abandonado

Depois de o prefeito expulsar  todos os banqueiros,  o mercado de Francisco Sá, diga-se de passagem, obra do prefeito Zé Mário em seu primeiro mandato em 1984, fechado para reformas há dois anos, virou um verdadeiro abandono. Totalmente escuro e depredado, lojas que serviam de depósitos de documentos da contabilidade da prefeitura abertas  como empenhos, livros de pontos, notas fiscais e autorizações de serviços assinadas pelo ex-prefeito Ronaldo Ramon e Antônio Dias, sacos de sementes de mamona espalhados, máquinas de datilografias mecânicas e eletrônicas quebradas, enfim, tudo jogado ali sem nenhuma proteção.


Veja mais fotos extraídas do Blog do Tássio
 
 

 


10 comentários:

Antonio Carlos disse...

Pelo andar da carruagem quem vai reconstruir o mercado será mesmo o Denilsão que pelo visto será nosso novo prefeito e vai ter que ressuscitar o mercado falecido

Piolho disse...

Sobre o comentário do Antonio Carlos afirmo que o maior ressuscitador do Brejo é o seu xará Antonio Dias que ressuscitou Zé Mário

Anônimo disse...

Caro amigo Tássio não é possível os vereadores entrarem com uma representação no Ministério Público contra o prefeito por omissão e deixar o patrimônio público ser depredado causado pelo abandono do prédio e também por não arquivar documentos mais antigos?

Paulo Roberto disse...

Sr.Blogueiro,
Somente com informações contidas na reportagem acima, emito meu parecer para o caso.Entendo que houve um acordo para a desocupação do mercado entre prefeitura e comerciantes e que não foi cumprido, na atual situação,fosse eu um antigo comerciante estabelecido no local, criaria um movimento para a retomada do prédio pelos comerciantes.Não sei se seria um ato legal, mas, que é uma boa forma de agilizar a pretendida reforma é uma boa ideia.

Paulo Roberto
roberto@brejo1.co.cc

Bartolomeu disse...

Prezado amigo Roberto,ciente de sua impertinencia suponho que está clamando por uma insurreição ou estou enganado.

Paulo Roberto disse...

Respondendo ao Bartolomeu a intenção do comentário sobre a inércia no andamento das obras está mais para a frase imortalizada por Guevara : Hay que endurecer, pero sin perder la candura.

roberto@brejo1.co.cc

Escumelando o bimbo disse...

O tempo passa e nada muda em nossa cidade, formulas arcaicas de administrar ainda são usadas em detrimento de nossa sociedade e progresso. Concordo com o leitor Paulo Roberto,e creio que ele quis dizer para não ficarmos de braços cruzados esperando a chegada de final de mandato para as obras serem concluídas e servirem para angariar votos, mesmo porque essa prática não é mais aceita pelos eleitores jovens que não conviveram com o coronelismo brejeiro e repudiam tal pratica. È preciso recolocar o brejo nos trilhos e a hora é agora.

Anônimo disse...

O descaso com o patrimônio público do municipio,vem demonstrando,elucidativamnete os atos impróbios deste atual gestor!quanto ao comentário supra, do Sr.Roberto : "sobre um movimento de retomada dos comerciantes ao mercado municipal" acredito, que a reintegração de posse não seria possível, por se tratar de um bem público,na qual, estado reserva a sua supremacia.talvez, uma ação cívil pública, movida pelos orgãos a quem compete,ministério público, sindicatos etc...

Anônimo disse...

Como antigo comerciante estabelecido no mercado estou enviando via email cópia do oficio para a desocupação do mercado para ser publicado e que possa ser feita uma avaliação do mesmo.
Contra minha vontade encontro-me no anonimato por achar que a resolução de fechar o mercado foi politica e fui seriamente prejudicado e não quero reviver essa situação

Maria Izabel disse...

Sobre o comentário acima postado por Anonimo, comento que se o BEM É PÚBLICO, nada mais justo que voltar para o povo e não ficar inoperante por picuinhas politicas, men que seja a força!